sexta-feira, 27 de março de 2009

Repórter da Band entra ao vivo de um celular em cobertura de incêndio em Diadema

video

Repórter Pedro Mota, da equipe de jornalismo da Tv Band, entrou hoje ao vivo de um celular 3G do local de um incêndio em indústria química em Diadema, São Paulo. Do estúdio, Luiz Datena interagia com o repórter a partir das imagens na tela em transmissão via celular. Estas iniciativas fazem parte do projeto "Band Repórter Celular" que permite agilidade como a verificada no vídeo.
O jornalismo móvel se torna imbatível nestas situações de emergência quando as equipes de reportagem levam tempo até chegar aos locais dos acontecimentos com veículos de microondas, satélites e toda a preparação para entradas ao vivo. Com um dispositivo móvel digital 3G com aplicativos como QIK ou Movino basta apenas começar a gravar e pronto. São apenas questões de segundos para estabelecer a instantaneidade na cobertura. Mais tarde traremos novas atualizações desta cobertura. (obrigado Brandini).

quinta-feira, 19 de março de 2009

Google Street View no Reino Unido

Interessante vídeo sobre o Google Street View, que chega agora as 25 principais cidades do Reino Unido com visualização das ruas em 360 graus e detalhes do espaço urbano. O Street View também é acessível no celular.

domingo, 15 de março de 2009

Seminário sobre "Comunicação e Mobilidade" com o professor Antonio Fidalgo

O professor Antonio Fidalgo, da Universidade de Beira Interior (Portugal), ministrará no período de 18 a 20 de março das 14h30 as 17h30 uma série de 3 Seminários sobre o tema "Comunicação e Mobilidade". Os ocorrerão na Faculdade de Comunicação - FACOM/UFBA.
A série está dirigida especialmente para pesquisadores e estudantes de pós-graduação, porém estudantes de Graduação com interesse em Cibercultura, Jornalismo Online e áreas afins são benvindos. O evento é organizado pelo Grupo de Pesquisa em Jornalismo Online, coordeado pelo professor Marcos Palacios. As inscrições (gratuitas) serão feitas no local. Haverá uma certificação expedida pelo GJOL/PPCCC.

AGENDA 2009: Mobilidade e mídias locativas


GPC em videoconferência com a equipe do Space and Culture da University of Alberta.


Replico do blog Carnet de Notes, as atividades de 2009 do Grupo de Pesquisa em Cibercidades GPC - UFBA, liderado por André Lemos:


"Apresento o projeto de atividades do GPC para 2009.1. O objetivo é tornar público as nossas atividades e agregar novos interessados.

O Grupo de Pesquisa em Cibercidade (credenciado no CNPq), do Ciberpesquisa do Programa de Pós-Graduação em Comunicação e Cultura Contemporâneas da FACOM-UFBa retoma suas atividades de 2009 com força total. O grupo é coordenado pelos professores André Lemos, Karla Brunet e José Carlos Ribeiro. O tema de discussão tem sido, desde 2004, Comunicação e Mobilidade. O grupo agrega professores, estudantes de graduação interessados na temática e pesquisadores em mestrado e doutorado do PPGCCC/Facom-UFBa da linha "Cibercultura".

Como atividades para 2009.1, gostaríamos de destacar:

1.Disciplina optativa da graduação, Comunicação Multimídia, tema Mídia Locativa, realiza experiência pioneira de integração de 4 disciplinas de 4 professores em 3 Estados diferentes, colocando pesquisadores, professores, alunos de graduação e de pós-graduação em um ambiente de troca. Com a mesma temática (mídia, comunicação, mobilidade) os professores André Lemos, Facom/UFBa, Gilson Schwartz, Cidade do Conhecimento/USP, Lucia Santaella, PUC-SP e Eduardo Pellanda, PUC-RS estão compartilhando textos, programas e colocando alunos em contato uns com os outros no ambiente Midias Móveis do Ning. Serão realizadas videoconferências via Skype com os professores, fazendo com que a aula de um seja assistida pelas outras turmas. Pesquisadores do GPC participam da disciplina e do ambiente colaborativo Mídias Móveis. O alunos da discplina realizarão experiência concretas e desenvolverão produtos tendo como pano de fundo a cidade do Salvador.

2. O GPC oferece em Maio de 2009 o curso de Extensão "Mídias Locativas. Comunicação e Mobilidade". O corpo docente é formado por professores e doutorandos do GPC. Os trabalhos do GPC são pioneiros nessa temática e o grupo é constituido hoje pelos professores doutores André Lemos, Karla Brunet e José Carlos Ribeiro e por pesquisadores de mestrado e doutorado, todos trabalhando na temática "comunicação e mobilidade" (pesquisas sobre games, jornalismo, teoria da comunicação, sociabilidade, mapas, arte, processos colaborativos...). Em breve programa completo do curso.

3. Pesquisador do GPC organiza um número especial do jornal acadêmico canadense Wi: Journal of Mobile Media sobre Comunicação e Mobilidade no Brasil. O número será publicado no segundo semestre de 2009. Traduzidos, os textos serão publicados no Brasil, em formato livro até o final do ano. Os editores são André Lemos, Fabio Josgrilberg (Metodista) e Kim Sawchuk, Concordia University.

4. O GPC,c a partir de contatos e acordos acadêmicos internacional já realizados, realizará videoconferências com professores e pesquisadores internacionais (nomes a confirmar datas: Pierre Lévy, Rob Shields, Will Straw, Kim Sawchuk, Canadá; Trebor Sholz, James Katz, EUA; Rob van Kranenburg, Holanda)

5. O GPC propõe um núcleo sobre "Cultura e Mobilidade" para o Fórum Permanente em Cultura Digital para avaliar os impactos das redes e dispositivos móveis na sociedade brasileira e mundial. O projeto visa oferecer cursos e palestras e oferecer produtos relacionados como obras artísticas, games, software e bibliografia inédita sobre a temática. O Núcleo vai investigar as perspectivas sócio-comunicacionais que coloquem o usuário em uma posição de produtor da cultura e do conhecimento, e não apenas como mero consumidor da moda da ?mobilidade?. Os projetos ainda estão em avaliação.

6. O novo site do GPC está em construção e deverá estar on-line em breve.

7. O GPC realiza seminários e discussões temáticas tendo como ponto de partida artigos, ensaios, trabalhos apresentados em congressos e projetos em andamento dos pesquisadores associados. O grupo se reúne todas as quintas as 14 no PPGCCC/Facom-UFBa, na sala 2."

quarta-feira, 11 de março de 2009

QR Code da televisão para o celular? O uso será em programa do canal Multishow

No post anterior comentamos sobre o uso de QR Code no jornal impresso A Tarde para acesso complementar via celular de textos, fotos, videos. O celular ou smartphones necessita de um leitor destes tipos de códigos bidimensionais. Depois de A Tarde com sua experiência inédita no Brasil em um jornal impresso, o canal por assinatura Multishow anuncia que vai utilizar o QR Code na televisão no programa Urbano. Assim o telespectador poderá apontar o celular para a tela da tv e baixar papel de parede e outras informações sobre o programa e etc. São novos usos que estão sendo apropriados pelos meios de comunicação para situações até então impensadas de conexão de uma mídia para outra, seja analógica ou digital. De jornal para celular e de televisão para celular.

O professor André Lemos tem mostrando no Carnet de Notes vários exemplos do uso do QR Code vinculado às práticas da mídia locativa.

terça-feira, 10 de março de 2009

Kyte e LiveCast nas transmissões ao vivo por celular no portal A Tarde



O Grupo A Tarde, de Salvador, vem avançando em relação a projetos mobile e de convergência. Em dezembro relatamos aqui a implantação pioneira de QR Code no jornal impresso e, em janeiro, o lançamento do canal Mobi A Tarde. No carnaval 2009 de Salvador esta combinação - que expande os aspectos de mobilidade na produção e recepção de conteúdos - esteve presente na cobertura multimídia da festa.
Neste post gostaríamos de reforçar uma das experiências com cobertura ao vivo por celular do carnaval. Com celulares Nokia N95, LG com Windows Media Player e as aplicações KyteTV e LiveCast foram realizadas coberturas ao vivo de celular para celular com transmissões dos tradicionais circuitos Dôdo e Osmar (no Campo Grande) e Barra-Ondina.

A seguir os canais utilizados no Livecast e no Kyte: http://www.livecast.com/mobi e celular (http://www.livecast.com/mobile/asx.aspx?mobi); e Kyte em http://www.kyte.tv/ch/229303-carnaval-na-barra-mobi-a-tarde e celular (http://m.kyte.tv/ch/229303-carnaval-2009-mobi-a-tarde).
Para o acesso diretamente no celular um link foi gerado redirecionando os usuários para o http://m.atarde.com.br/i/aovivo/. Aqui o usuário assistia ao vivo no celular em streaming ou visualizava outros vídeos produzidos pelos repórteres nos circuitos.
Em contato com a editora-coordenadora do Mobi A Tarde, Iloma Sales, ela nos contou como foi a experiência com o LiveCast, o Kyte e o celular Nokia N95 para as transmissões ao vivo:

  • "O Livecast tem uma opção de 'share' que podemos disponibilizar seções de 'ao vivo', gerando vídeos de momentos específicos. O Kyte, idem. Com uma diferença, o Live tem conexão direta com o YouTube. Daí, como já dispomos de um canal de vídeos no YouTube, enviávamos estas seções para lá, de modo automático. Além da transmissão ao vivo no celular, esta também acontecia via web; o que ampliou nosso alcance em termos de audiência."

Quando comecei minha pesquisa de doutorado na UFBA sobre jornalismo e mobilidade, em 2007, tínhamos poucas experiências com celulares e transmissões ao vivo. Com a entrada das redes banda larga 3G no Brasil e o surgimento de aparelhos sofisticados como o Nokia N95 (para produção de conteúdo ou transmissões) e o iPhone (para navegação e transmissão) estamos vivenciando um cenário de expansão do jornalismo móvel no Brasil. Temos duas perspectivas muito claras quando se fala de jornalismo móvel: uma centrada na difusão/recepção de conteúdo em web móvel (exemplos não faltam de empresas e portais com formatos apropriados para visualização em dispositivos móveis; e outra centrada na produção de conteúdo ou nas transmissões ao vivo através de celulares (neste item temos inúmeras experiências surgindo desde portais de Internet a redes de televisão como a Band e a Tv Jornal do Recife.
Em breve estarão disponíveis em livro e eventos dois artigos científicos que estou elaborando abordando este panorama do jornalismo e mobilidade.

segunda-feira, 2 de março de 2009

iPhone domina o acesso à Internet móvel


iPhone continua dominando os acessos móveis. Nada menos que 67% dos acessos ocorrem via iPhoneOS (iPhone e iPod Touch). No gráfico acima é possível observar de forma clara e objetiva o sucesso do aparelho como interface de navegação dominante. Sem sobra de dúvida existe um divisor na navegação móvel: antes e depois do iPhone. A plataforma da Apple contribuiu de forma definitiva para a percepção das possibilidades de exploração do mundo móvel. Posteriormente postarei aqui uma análise da influência do dispositivo na "corrida" das empresas para marcar presença no mundo móvel. Um exemplo disto são os bancos: no Brasil os grandes estão lá: Bradesco, Itaú, Banco do Brasil entre outros.